Pegar no carro e partir em direção às Astúrias e à Cantábria. Ir ver o mar e uma costa selvagem. Subir às montanhas dos Picos da Europa e aos lagos de Somiedo. Parar em povoações abrigadas entre as serras ou encavalitadas à beira-mar. Procurar o silêncio. Ouvir o outro. Viajar para recuperar o essencial e para relembrar porque é que é bom estar vivo.

Já fomos várias vezes a estas duas regiões do norte de Espanha. Foi com base nessas viagens que traçámos este itinerário, selecionando aqueles lugares que, na nossa opinião, não devem faltar numa primeira ou segunda visita.

Roteiro de carro pelas Astúrias e Cantábria

  • Dia 1 | Luarca > Cudillero > Avilés > Gijón
  • Dia 2 | Gijón > Oviedo > Villanueva (Rota das Xanas) > Somiedo
  • Dia 3 | Somiedo
  • Dias 4 a 7 | Somiedo > Cangas de Onis > Roteiro pelos Picos da Europa
  • Dia 8 | Cangas de Onis > Lastres > Llanes > Santillana del Mar

Mapa com roteiro do que visitar nas Astúrias e Cantábria
Roteiro de carro pelas Astúrias e pela Cantábria (8 dias)

1. Luarca

De Luarca lembramo-nos das várias pontes que atravessam o pequeno rio que divide a localidade em dois; dos barcos coloridos dos pescadores no porto; das casas construídas em socalcos, de caminharmos pelo passeio marítimo e de pensarmos como tudo era bonito.

A não perder | O farol, a capela de La Atalaya e o cemitério, com vistas maravilhosas sobre o mar e a montanha.

Nas proximidades | Praia do Silêncio.

Porto de Luarca
(cc) Justraveling.com

2. Cudillero

Cudillero é uma pequenina povoação, bem representativa da costa asturiana, onde podemos observar uma grande praça central que abriga um porto de pescadores e casinhas coloridas a subir por uma abrupta encosta. Infelizmente, talvez por ser tão bonita, achámo-la demasiado turística.

Panorâmica de Cudillero
(cc) Miguel Ossorio

3. Avilés

O centro histórico de Avilés, a terceira maior cidade das Astúrias, foi declarado Conjunto Histórico-Artístico Monumental e terá inspirado o famoso arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer a rabiscar, à mesa de um restaurante, o Centro Cultural Internacional Oscar Niemeyer.

A visitar | As ruas de Galiana e Rivero; a Praça de Espanha; a igreja velha de Sabugo (do séc. XIII); o Centro Niemeyer e a marina de Avilés, considerada uma das mais bonitas da região.

Centro Oscar Niemeyer e praça histórica em Avilés
Fotos: Turismo das Astúrias

4. Gijón

Fundada pelos romanos no séc. I, para nós Gijón é especial devido não só ao seu passado, mas também à praia de São Lourenço que transmite à cidade mais povoada das Astúrias boa energia e um ambiente descontraído. A famosa Escalerona, a escadaria de pedra que liga a marginal ao areal, é um ponto de encontro popular para os habitantes.

A não perder:

  • Museu das Termas Romanas, em frente da igreja de São Pedro;
  • Marina de Gijón;
  • Bairro de Cimadevilla, antigo bairro de pescadores e o mais antigo da cidade;
  • Monte de Santa Catarina, onde podemos caminhar até ao “Elogio do Horizonte”, uma escultura que, durante várias décadas, foi o logotipo de Gijón, com vistas para o mar Cantábrico;

Onde dormir:

Esplanada e passeio marítimo em Gijón
Fotos: Turismo das Astúrias

5. Oviedo

Fundada no séc. VIII, Oviedo é a capital e a jóia das Astúrias. “… uma cidade deliciosa, exótica, bonita, limpa, agradável, tranquila e pedonal, como se não pertencesse a este mundo, como se não existisse… Oviedo é como um conto de fadas” – assim a descreveu Woody Allen, que gosta tanto da cidade que filmou aí o seu filme “Vicky Christina Barcelona”.

Caminhar pelo centro histórico de Oviedo é, de facto, um prazer. Não só por ser pedonal, mas também pelos monumentos que guarda, incluindo alguns declarados Património da Humanidade e mais de 100 estátuas que vamos descobrindo espalhadas pelas ruas.

A não perder:

  • Na área da Catedral: Catedral de São Salvador, Igreja de San Tirso, Museu de Belas Artes e Museu Arqueológico;
  • Na Praça de Afonso II: Palácios de Valdecarzana e la Rúa;
  • Em Cimadevilla, a parte mais antiga do centro histórico: Praça de Trascorrales, Praça da Constituição e a colorida Praça Fontán;
  • Universidade de Oviedo (séc. XVI);

Nas proximidades | Palácio de Santa Maria del Naranco e igreja de S. Miguel de Lillo (do séc. IX), exemplos do inovador estilo pré-românico asturiano, declarados Património da Humanidade pela Unesco (a 3 km de Oviedo).

Onde comer:

  • Tapas e sidra na Calle Gascona;
  • O mercado Fontán é um bom local para comprar queijos tradicionais das Astúrias;
  • Pastelaria Camilo de Blas para comer um “carbayones”, um doce típico das Astúrias e uma especialidade de Oviedo.

Centro histórico de Oviedo
Fotos: Turismo das Astúrias

6. Rota das Xanas

A Rota das Xanas está entre os nossos percursos pedestres preferidos em Espanha. A primeira parte faz-se por um caminho esculpido nas rochas, na berma de um desfiladeiro. A segunda por uma floresta onde habitarão “xanas”, as fadas da mitologia asturiana.

Desfiladeiro da Rota das Xanas
Desfiladeiro da Rota das Xanas

7. Parque Natural de Somiedo

Em breve, queremos visitar este parque natural, considerado um dos mais belos e bem conservados de Espanha, para caminharmos entre montanhas, vales, rios, lagos glaciares e florestas e para reencontrarmos casas tradicionais com telhados de colmo, semelhantes às que vimos em O Cebreiro e Pionerdo, na Galiza.

Onde dormir:

Paisagem e casa tradicional no Parque Natural de Somiedo
Fotos: Turismo das Astúrias

8. Picos da Europa

Gostamos tanto deste parque nacional que já lá fomos várias vezes e queremos voltar. Para o ajudar a planear uma visita, até preparámos um roteiro pelos nossos lugares preferidos, incluindo os sítios, as estradas panorâmicas e os percursos pedestres que mais nos encantaram.

Paisagem no caminho entre Bulnes e Poncebos
No caminho entre Bulnes e Poncebos

9. Lastres

Infelizmente, nas nossas andanças pelas Astúrias, não tivemos tempo para ir a Lastres, mas ficou o desejo de conhecer esta antiga vila piscatória, de parar no seu porto, de trepar pelas suas ruelas estreitas ladeadas por casas brancas e de subir até à ermida de San Roque, o melhor miradouro sobre a vila.

Panorâmica e praia de Lastres
Fotos: Turismo das Astúrias

10. Llanes

Llanes foi a localidade da costa asturiana de que mais gostámos, devido à sua bonita arquitetura, ao mar azul-turquesa, à praia, ao porto e aos “Cubos de la Memoria”, uma intervenção artística de Agustín Ibarrola, que pintou grandes blocos de pedra de várias cores, tão simples e tão bonitos.

Nas proximidades | Visitámos a Praia de Gulpiyuri, porque tínhamos visto fotos espetaculares da mesma. Ao vivo, foi uma desilusão, não só por ser muito mais pequena do que imagináramos, mas também porque quase não tinha água, assemelhando-se a um charco.

Cubos de la Memoria em Llanes
Cubos de la Memoria em Llanes

11. Santillana del Mar

Avisaram-nos que Santillana del Mar era mentirosa, porque “não é santa, não é plana (llana) e não tem mar”. Não faz mal. Nós gostamos de pequenas localidades onde podemos andar sem mapa. Gostamos de nos perder por ruelas de pedra. Gostamos de descobrir praças, monumentos e edifícios conservados como antigamente. Por isso, gostámos (tanto) de Santillana del Mar.

A não perder | Plaza Mayor, Colegiata de Santillana del Mar, ruas Juan Infante e Santo Domingo.

Onde dormir:

Centro histórico de Santillana del Mar
Fotos: Turismo da Cantábria

Se tiver mais tempo disponível, também poderá gostar de visitar:

  • Nas Astúrias | Tapia de Casariego, Ribadesella e Puerto de Vega;
  • Na Cantábria | Comillas, San Vicente de la Barquera e Castro Urdiales.

Guia prático

Como ir

Nós fomos de carro desde Lisboa, via Salamanca, Zamora e Léon (tempo aproximado: 8 horas). Tente ir sempre que possível pelas autovias espanholas: além de terem bom piso, não têm portagens.

Do Porto, o percurso é mais curto, via Chaves, Puebla de Sanabria e Léon (tempo aproximado: 5 horas). Alternativamente, poderá seguir um trajeto mais turístico, mas mais longo, através de Vigo, Santiago de Compostela, Corunha e daí percorrendo todo o litoral até Gijón (5h30).

A TAP tem voos directos de Lisboa para Oviedo, a capital das Astúrias. Aí poderá alugar um automóvel, o meio mais adequado para explorar estas duas regiões.

O que provar

Nas Astúrias

  • Fabada asturiana
  • Pote asturiano
  • Cabrito assado
  • Cachopo (dois filetes de vitela panados, recheados com presunto e queijo)
  • Pitu caleya (frango pica-no-chão)
  • Pastel de cabracho (paté de peixe)
  • Fritos de pixin (tamboril frito)
  • Queijos tradicionais como o Cabrales
  • Doces: casadiellas, carbayones e arroz con leche (arroz doce)
  • Sidra

Na Cantábria

  • Rabas (calamares fritos)
  • Peixe, marisco e as anchovas do Cantábrico, de preferência as fabricadas em Santona
  • Doces: sobaos e quesada pasiega

Se gostaram deste artigo, podem deixar um comentário ou seguir o Facebook e o Instagram do Viagens à Solta. A vocês não custa nada e a nós motivar-nos-á a partilhar mais experiências de viagem.

Veja ainda:

14 Comentários

  1. Compartilhei com muita curiosidade as belas imagens postadas da Astúrias e Cantrábia, lugares que nos são pouco familiares. Também é com muito orgulho que vemos a obra de Niemayer espalhada pelo mundo. O Centro Cultural que aparece na foto lembra muito o Museu de Arte Contemporânea situado em Niterói, cidade ligada ao Rio de Janeiro por uma ponte de 13 km. A imagem de vocês dois abraçados e toda aquela natureza ao redor está imperdível. Adorei!

  2. Quando se dedicam a organizar viagens/orçamentos/marcação de hóteis , para os seguidores? 🙂
    Este blogue é incrível!

    Obrigada,
    Ana

    • Obrigado pelo seu comentário Ana. O nosso tempo disponível para dedicar ao Viagens à Solta é bastante reduzido. Ainda assim, tentamos ao máximo partilhar informação prática, daquela que nós próprios gostaríamos de encontrar quando estamos a planear uma viagem.

      Esteja atenta pois esperamos partilhar mais roteiros práticos nos próximos tempos.

      Boas viagens 🙂

  3. Obrigada pelos vossos relatos apaixonados e fotos espectaculares!
    Conheço bem esta zona de Espanha e adoro!
    Aliás, visitei alguns locais de Portugal e Espanha, graças aos vossos reports.
    Boa sorte para vós e para o vosso blog, é um gosto acompanhar-vos.

  4. Esta é uma viagem que tenho planeada para fazer e está nos tempos mais próximos, não sei se será possível terem essa noção, mas qual o orçamento aproximado que pensam que 3 pessoas gastariam numa viagem destas?
    Grata pela vossa partilha, fantásticas fotos!

  5. Olá boa tarde

    Gostava de poder imprimir os vossos textos e imagens dos roteiros, é possível?

  6. Boa noite.
    Um bom artigo muito útil para futura viagem, bom trabalho.
    Obrigado.

  7. Boa noite,

    Adorei este vosso roteiro e fiquei completamente encantado e deliciado com as Astúrias, sem dúvida uma das viagens a fazer brevemente.
    Na vossa opinião qual será o melhor mês ou meses para visitar esta região?

    • Caro Eládio,

      Os nossos meses preferidos para visitar as Astúrias são Maio, Junho e Setembro, porque normalmente está bom tempo e não há muitos turistas.

      Se não se importar com o número de turistas, Julho e Agosto também são boas opções e até poderá ir a algumas praias da costa.

      Se quiser ver neve nas montanhas, então o melhor é ir no inverno.

      Esperamos ter ajudado… Boas viagens à solta!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *