Qual é o primeiro lugar que lhe vem à cabeça quando pensa na Catalunha? Provavelmente é Barcelona, a segunda maior cidade da Península Ibérica (a seguir a Madrid) e a capital desta comunidade autónoma de Espanha, cuja luta pela independência se reacendeu recentemente.

No entanto, há muito mais para visitar na Catalunha do que Barcelona. Há praias, castelos, uma montanha diferente de todas as que conhece, povoações medievais, locais que inspiraram artistas famosos como Salvador Dalí, um parque de aventura que as crianças adoram e até mosteiros e monumentos romanos declarados Património da Humanidade.

A Catalunha foi uma enorme surpresa para nós e a “road trip” que aí fizemos está entre as nossas viagens de carro preferidas. Isso prova que a Catalunha não é só Barcelona e que não é preciso ir para muito longe de Portugal para fazer viagens fantásticas.

O roteiro que sugerimos a seguir inclui os locais que mais gostámos de visitar na Catalunha e, na nossa opinião, é ideal para quem visita a região pela primeira vez.

Típica cortina artesanal da Andaluzia, Espanha
Cortina artesanal de enrolar, Catalunha
Pormenores do Mosteiro de Poblet, Andaluzia
Pormenores do Mosteiro de Poblet, Património Mundial da UNESCO, Catalunha

Onde fica a Catalunha

No nordeste de Espanha (Google Maps)

Como chegar à Catalunha

Voos diretos:

  • Lisboa – Barcelona: Vueling e TAP
  • Porto – Barcelona: Vueling e Ryanair
  • Faro – Barcelona: Vueling

De carro desde Portugal:

  • Lisboa – Barcelona: 1245 km
  • Porto – Barcelona: 1183 km

Como se deslocar na Catalunha

A melhor forma de visitar a Catalunha é de carro, pois só assim se consegue conhecer toda a região com total liberdade e em relativamente pouco tempo.

Dica | Se decidir voar para Barcelona, alugue apenas carro quando estiver de partida da cidade. Enquanto aí estiver, não precisará de automóvel, porque existe uma boa rede de transportes.

Catalunha, o que visitar: Tossa de Mar
Muralha de Tossa de Mar

O que visitar na Catalunha

  • Dias 1 e 2: Barcelona
  • Dia 3: Tossa de Mar, Estrada entre Tossa de Mar e Sant Feliu de Guixols, Monells, Peratallada e Pals
  • Dia 4: Cadaqués e Cap de Creus, Figueres, Besalú e Girona
  • Dia 5: Girona
  • Dia 6: Montserrat, Mosteiro de Poblet e Tarragona
  • Dia 7: Tarragona, Sitges e Barcelona
Mapa da Catalunha com os lugares a visitar
Mapa da Catalunha com indicação dos locais que recomendamos visitar numa road trip de 7 dias

Roteiro de carro para visitar a Catalunha (7 dias)

DIAS 1 e 2: Barcelona

A capital da Catalunha recebe anualmente 35 milhões de visitantes e é fácil perceber porquê. Barcelona é uma cidade vibrante e cosmopolita, com muito para ver.

Como há muitos (e bons) artigos sobre o que visitar em Barcelona, não nos vamos alongar. Referiremos apenas o que, na nossa opinião, não deve perder na cidade.

A não perder em Barcelona:

  • Ramblas
  • Mercado La Boqueria
  • Obras de Antoni Gaudi, como a Sagrada Família, a Casa Batlló, a Casa Milá/ La Pedrera e o Parque Güell
  • Palau de la Música Catalana
  • Montjuïc
  • Bairro Gótico
  • Museu Picasso
  • Fundação Miró

Dormida em Barcelona:

Apartamentos:

Casa Batlló, Barcelona
Casa Batlló, uma das obras de Gaudi em Barcelona – © Christian Schd

DIA 3: Tossa de Mar, Estrada entre Tossa de Mar e Sant Feliu de Guixols, Monells, Peratallada e Pals

Tossa de Mar

Apesar de, em Portugal e Espanha, haver muitas povoações medievais rodeadas por muralhas, provavelmente nunca viu uma à beira mar.

Além de uma praia-baía com vistas fora do comum, Tossa de Mar tem uma parte antiga intramuros, declarada monumento histórico-artístico nacional, em excelente estado de conservação. Como é bastante pequena, não precisa de se preocupar em seguir um mapa ou um roteiro específico. O melhor é caminhar livremente à volta da muralha e pelas ruelas empedradas da vila antiga, fazendo as suas próprias descobertas.

A não perder em Tossa de Mar | A zona da “Vila Vella” (vila antiga), situada dentro das muralhas. Entrada gratuita.

Tossa de Mar, Andaluzia
Tossa de Mar

Estrada entre Tossa de Mar e Sant Feliu de Guixols

Depois de visitar Tossa de Mar, vamos de carro até Sant Feliu por aquela que é considerada uma das estradas mais cénicas da Costa Brava, a GI-682. As vistas são incríveis, mas cuidado com as curvas.

Catalunha, o que visitar: Costa Brava
Costa Brava

Monells

Mais a norte, Monells forma, juntamente com as vizinhas Peratallada e Pals, uma trilogia de povoações medievais com vários elementos em comum: são consideradas das mais bonitas da Catalunha; estão muito bem conservadas; são pequenas e o prazer de as visitar consiste em percorrer as suas ruelas sem medo de nos perdermos, de descoberta em descoberta e reparando nos pormenores.

Dica | Se não quiser visitar as três, sugerimos que visite Peratallada e Pals.

Peratallada

Peratallada destaca-se pela sua belíssima arquitetura, pelas casas de pedra, pelas ruelas que parecem esculpidas diretamente nas rochas e pelos pequenos arcos que nos convidam a entrar e a procurar aventuras medievais em cada esquina. Foi declarada conjunto histórico-artístico pelo Ministério da Cultura espanhol, por ser um dos núcleos medievais mais antigos e mais bem preservados da Catalunha.

A não perder em Peratallada | A Torre de L’Homenatge; a Plaça del Castell (Praça do Castelo) e a Plaça de les Voltes (Praça das Abóbadas).

Catalunha, o que visitar: Peratallada
Pormenores de Peratallada

Pals

Situada a 15 minutos de Peratallada, Pals cresceu à volta de um castelo que a defendia dos ataques de piratas. Hoje, o seu poder consiste em fazer-nos viajar até à Idade Média: não uma Idade das Trevas, mas uma época gótica e lustrosa, marcada pela pedra brilhante das casas e da calçada, pelas trepadeiras e pelas flores nos parapeitos das janelas.

A não perder em Pals | A Praça Maior, os túmulos da Calle Mayor, a Torre de las Horas, a igreja de San Pere e o miradouro Josep Pla.

Dormida em Palls:

Catalunha, o que visitar: Pals
Pormenores de Pals

DIA 4: Cadaqués e Cap de Creus, Figueres, Besalú e Girona

Cadaqués e Cap de Creus

O Parque Natural de Cap de Creus é uma península quase despida de árvores, com uma costa rochosa, falésias abruptas, pequenas “calas” (praias) escondidas e enseadas tranquilas com águas transparentes.

É aí que se situa Cadaqués, uma localidade de casas brancas junto ao mar, que inspirou pintores e artistas famosos como Picasso, Miró e Salvador Dalí.

A não perder em Cadaqués | O centro histórico, a igreja de Santa María e a Casa-Museu Salvador Dalí, o local onde o artista viveu e trabalhou ininterruptamente entre 1930 e 1982. A Casa-Museu fica localizada em frente à baía de Port Lligat (poderá ir de carro ou andar 25 minutos a pé desde o centro histórico).

Dica | Se quiser continuar a explorar o Cap de Creus, percorra a estrada entre Cadaqués e o Farol de Cap de Creus (10 km). O farol fica no ponto mais oriental da península e alberga a sede do “Espacio Cabo de Creus”, o centro de interpretação e informação do Parque Natural del Cap de Creus.

Catalunha, o que visitar: Cadaqués
Cadaqués

Figueres

Quem desejar conhecer melhor a obra de Salvador Dalí, um dos maiores nomes da história da arte, deverá ir a Figueres, a sua cidade-natal. O Teatro-Museu Dalí foi projetado pelo próprio artista sobre as ruínas do antigo teatro municipal, com o objetivo de oferecer uma experiência única aos seus visitantes, guardando uma importante coleção de obras do mestre surrealista.

Besalú

“Alguém conhece uma povoação mais Guerra de Tronos que Besalú?” – foi esta pergunta do site traveler.es que nos fez querer conhecer Besalú. O que mais nos impressionou nesta localidade medieval foi a colossal ponte fortificada do século XII, que constituía a única forma de entrar na mesma. Mas no interior de Besalú há mais, como o Mosteiro de Sant Pere; diversas igrejas que alternam elementos românicos e góticos; monumentos civis como a casa de Cornellà e a Cúria Real, além de um surpreendente bairro judeu onde é possível visitar um “Mikveh”, uma casa de banhos judaica, única na Península Ibérica.

Dormida em Girona:

Apartamentos:

Ponte de Besalú, Andaluzia
Ponte de Besalú

DIA 5: Girona

Há terras que visitámos e esquecemos passados uns anos. Não é o caso de Girona. Lembramo-nos das casas coloridas nas margens do rio Onyar, que separa a cidade moderna do centro histórico. Lembramo-nos de atravessar a ponte Eiffel, uma fotogénica estrutura de ferro vermelho. Lembramo-nos de que em Girona conviveram pacificamente as culturas cristã, árabe e hebraica. Lembramo-nos de percorrer ruelas sombrias e misteriosas no centro histórico – tanto de dia como de noite e tanto com mapa como sem mapa. Lembramo-nos, por fim, de que Girona foi das terras que mais gostámos de visitar na Catalunha.

A não perder em Girona | As casas coloridas nas margens do rio Onyar; El Call (bairro judeu) e a rua Carrer de la Força; a torre de Sant Feliu (à qual se pode subir); a Catedral de Santa Maria (edificada a partir do século XI) e os banhos árabes (séc. XII).

Curiosidade | Girona possui um extraordinário centro medieval cuja singularidade serviu de cenário à série “Guerra dos Tronos”.

Dormida em Girona:

Apartamentos:

Catalunha, o que visitar: Girona
Girona, a cidade de que mais gostamos na Catalunha a seguir a Barcelona – © catalunya.com

DIA 6: Montserrat, Mosteiro de Poblet e Tarragona

Montserrat

O Mosteiro de Nossa Senhora de Montserrat, patrona da Catalunha, foi construído numa impressionante montanha com o mesmo nome. Além de uma visita à basílica, vale a pena fazer alguns percursos pedestres pelas montanhas para desfrutar de paisagens de invulgar beleza natural.

Para saber mais, veja o nosso artigo sobre Montserrat.

Sofia contemplando o Mosteiro de Montserrat junto a um gato
Sofia a contemplar o Mosteiro de Montserrat junto a um companheiro inesperado

Mosteiro de Poblet

O Real Mosteiro de Santa Maria de Poblet é um mosteiro cisterciense, mandado construir em 1150, como agradecimento após a reconquista da Catalunha aos mouros. Foi panteão real da Coroa de Aragão durante alguns séculos e declarado Património da Humanidade pela UNESCO em 1991.

Dicas:

  • Só é possível visitar o interior do mosteiro em grupo. A visita guiada é excelente!
  • Horário e preços no site oficial: www.poblet.cat

Dormida em Tarragona:

Apartamentos:

Catalunha, o que visitar: Mosteiro de Poblet
Mosteiro de Poblet, Património Mundial da UNESCO, Catalunha

DIA 7: Tarragona, Sitges e Barcelona

Tarragona

A maior atração de Tarragona é o seu legado romano, declarado Património Mundial, principalmente as muralhas e o anfiteatro romanos, situados no centro histórico. Mas há mais na antiga Tarraco, outrora capital da Hispania, como uma rica herança medieval e moderna, magníficas praias e uma rica oferta cultural e gastronómica.

A não perder em Tarragona | Anfiteatro Romano, Balcó del Mediterrani, Carrer del Comte, Catedral de Santa Maria, Muralhas (Passeio Arqueológico), Museu Nacional Arqueológico e Rambla Nova.

Dica | Nas proximidades de Tarragona, as crianças adorarão o parque temático de PortAventura.

Anfiteatro e aqueduto romanos, Tarragona, Andaluzia
Anfiteatro e aqueduto romanos, Património Mundial da Unesco em Tarragona, Catalunha – © catalunya.com

Sitges

Sitges é um dos passeios mais populares perto de Barcelona, que fica a apenas 35 km de distância. Banhada pelo mar e com uma praia magnífica, é uma bela cidade mediterrânica com um centro histórico cheio de ruelas e casas brancas.

A não perder em Sitges | A praia de Sant Sebastià, à frente do antigo bairro de pescadores, entre o centro histórico e o porto de Sitges.

Dica | É possível ir de comboio de Barcelona a Sitges (~ 30 minutos)

Catalunha, o que visitar: Sitges
Pormenores de Sitges

Outros lugares a visitar na Catalunha

Se tiver mais tempo disponível na Catalunha, também poderá gostar de visitar:

  • Calella de Palafrugell e outras praias (veja as melhores da Catalunha segundo a revista Timeout).
  • Castellfollit de la Roca: uma pequena aldeia com uma localização extraordinária, no alto de uma enorme parede de basalto, a 50 metros de altura. É uma das imagens mais populares da Catalunha.
  • Vic: uma cidade medieval, cuja Praça Maior e Catedral estão entre os símbolos mais famosos do imaginário catalão.
  • Montblanc: cidade muralhada que chegou a ser, no séc. XIV, uma das vilas mais importantes da Catalunha.
  • Miravet: um conjunto de casas construídas numa colina abrupta, numa das margens do rio Ebro, coroada por um castelo de origem árabe.
  • Pirinéus catalães
Castellfollit de la Roca, Andaluzia
Castellfollit de la Roca

Guia prático para visitar a Catalunha

Quando visitar a Catalunha

  • Época alta: Julho e Agosto
  • Época intermédia: Abril a Junho e Setembro a Outubro
  • Época baixa: Novembro a Março

Maio, Junho e Setembro são, provavelmente, os melhores meses para visitar a Catalunha, porque normalmente está bom tempo, dando até para ir à praia, e evita-se a confusão de Julho e Agosto.

Quanto tempo ficar na Catalunha

No mínimo 7 dias.

Onde ficar quando visitar a Catalunha

Rua em Tarragona
Rua em Tarragona

Gastronomia na Catalunha

Eis algumas das iguarias tradicionais que poderá visitar na Catalunha:

  • Escudella i carn d’olla: uma sopa à base de carne e massa;
  • Pà de pagès: um pão típico;
  • Calçots: cebolinhas assadas na brasa;
  • Coca de recapte: uma base de massa fina sobre a qual são colocados: molho de tomate, cebola, beringela e pimentos assados, além de algum tipo de peixe salgado (anchovas ou arenques);
  • Esqueixada de bacallà: uma salada de bacalhau, azeitonas, tomate, cebola e ovo cozido;
  • Suquet de peix: um ensopado com vários tipos de peixe e frutos do mar;
  • Doces: Crema catalana (leite creme) e mel i mató (queijo fresco com mel);
  • Vinhos da Denominação de Origem Ampurdán-Costa Brava.

Mais artigos sobre a Catalunha

Siga-nos no Instagram e no Facebook para mais ideais para férias, escapadinhas e fins de semana. Boas viagens à solta!

Foto de capa: catalunya.com

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.