Viajar de carro pela Andaluzia, no Sul de Espanha, é ver passar oliveiras e campos agrícolas sem fim. É conhecer 8 sítios classificados como Património Mundial pela UNESCO. É chegar a algumas das cidades mais bonitas de Espanha, como Sevilha, Córdoba e Granada. É abrir a boca de espanto com o legado que os mouros deixaram na região. É atravessar serranias e encontrar pequenas povoações totalmente brancas. É espreitar para dentro de algumas casas e descobrir pátios cheios de plantas. É cheirar, em meados de Março, as flores das laranjeiras que existem nas ruas e nas praças. É fazer aquele que até há pouco tempo era considerado o percurso pedestre mais perigoso do mundo. É poder andar no meio de rochas que nasceram no mar. É poder ir até ao mar e à praia. É almoçar depois das 14h e jantar depois das 21h. É o convívio alegre entre todas as idades. É religião, touradas, “tapas” e flamenco.

Já viajámos várias vezes de carro pela Andaluzia. Os dois roteiros que aqui sugerimos incluem aqueles lugares de mais gostámos entre todos os que visitámos. O primeiro é ideal para quem tem duas semanas de férias, o segundo para quem tem apenas uma.

Tópicos

Miradouro de Arcos de la Frontera, Andaluzia
Miradouro de Arcos de la Frontera, considerada uma das localidades mais bonitas de Espanha

Andaluzia

Onde fica

A Andaluzia é uma região situada no sul de Espanha e o facto de estar mesmo ao lado de Portugal faz dela um destino perfeito para uma “road trip”.

Como chegar

De carro desde Portugal

  • Distância Faro – Sevilha: 200 km (2h)
  • Distância Lisboa – Sevilha: 463 km (4h30)
  • Distância Porto – Sevilha: 587 km (6h)

De avião

Há voos diretos de Portugal para Sevilha. Uma vez em Sevilha, será necessário alugar um automóvel para fazer os roteiros que sugerimos neste artigo.

Típico pátio interior da Andaluzia
Típico pátio interior da Andaluzia

Sítios classificados como Património Mundial na Andaluzia

  1. Sevilha
  2. Córdoba
  3. Úbeda
  4. Baeza
  5. Granada
  6. Torcal de Antequera
  7. Dólmenes de Antequera
  8. Parque Nacional de Doñana

Como poderá constatar a seguir, em 2 semanas é possível visitá-los todos ao invés de uma viagem de 1 semana, em que só é aconselhável visitar 3 ou 4 sítios.

Roteiro para visitar a Andaluzia em 2 semanas

  • Dia 1 | Sevilha (dia inteiro)
  • Dia 2 | Carmona (de manhã) – Córdoba (à tarde)
  • Dia 3 | Córdoba
  • Dia 4 | Úbeda e Baeza (de manhã) – Granada (à tarde)
  • Dia 5 | Granada
  • Dia 6 | Serra Nevada e aldeias de La Alpujara
  • Dia 7 | Parque Natural Cabo de Gata-Níjar
  • Dia 8 | Friglinana – Málaga – Torcal de Antequera
  • Dia 9 | Caminito del Rey – Ronda
  • Dia 10 | Setenil – Olvera
  • Dia 11 | Zahara de la Sierra – Arcos de la Frontera
  • Dia 12 | Gilbraltar – Tarifa – Cádis
  • Dia 13 | Parque Nacional de Doñana

Dica | Se for de carro desde Portugal, vale a pena parar em Aracena para comer o delicioso presunto local, que se distingue dos demais, porque praticamente não tem gordura e os porcos são criados ao ar livre. Aracena também é conhecida pela Gruta das Maravilhas.

Mapa do roteiro de 2 semanas na Andaluzia

Andaluzia, mapa do que visitar em 2 semanas
Mapa da Andaluzia com indicação dos locais a visitar numa “road trip” de duas semanas

O que visitar na Andaluzia em 2 semanas

1. Sevilha

Além do importante legado que herdou dos mouros, Sevilha foi o principal porto comercial de Espanha após a descoberta da América. Daí o seu centro histórico estar repleto de palacetes, casas nobres, capelas e igrejas, incluindo várias construções declaradas Património da Humanidade pela UNESCO.

A não perder | A catedral (outrora uma mesquita), a sua torre Giralda (outrora um minarete), o Alcazár Real e o Bairro de Santa Cruz.

Onde dormir em Sevilha (1 noite)

Apartamentos:

Jardins do Alcazár de Sevilha, Andaluzia
Sabia que os Jardins do Alcazár de Sevilha serviram de cenário para os Jardins de Dorne na série “Guerra dos Tronos”?

2. Carmona

Das casas brancas, levantam-se várias torres: de igrejas, de conventos e de duas fortificações árabes: o Alcazár da Porta de Sevilha, à entrada do centro histórico, e o Alcazár do Rei D. Pedro, no seu ponto mais alto.

Vista desde o Alcazár da Porta de Sevilha
Vista desde o Alcazár da Porta de Sevilha

3. Córdoba

Declarada Património da Humanidade pela UNESCO, Córdoba foi em tempos considerada uma das cidades mais cultas do mundo, onde coabitaram pacificamente cristãos, muçulmanos e judeus.

A não perder | A mesquita-catedral, a judiaria, os banhos árabes, a Praça da Corredera, a ponte romana sobre o rio Guadalquivir, o Alcácer dos Reis Cristãos e os pátios cordobeses.

Onde dormir em Córdoba (2 noites)

Apartamentos:

Mesquita-Catedral de Córdova
Mesquita-Catedral de Córdova

4. Úbeda

Rodeadas por olivais a perder de vista, Úbeda e Baeza são duas cidades Património Mundial, devido à riqueza dos seus centros históricos, cheios de edifícios Renascentistas.

5. Baeza

Igreja do Salvador, Úbeda
Igreja do Salvador, Úbeda

6. Granada

Foi a última cidade da Península Ibérica a ser reconquistada pelos reis católicos. A herança moura é, pois, omnipresente, tendo o seu expoente máximo no Alhambra, mandado construir como fortaleza e palácio real pelos reis da dinastia Nazarí. Declarado Património da Humanidade, é hoje um dos monumentos mais visitados de Espanha. Convém comprar os bilhetes com antecedência no site oficial: tickets.alhambra-patronato.es.

A não perder | Além do Alhambra, os bairro de Albayzín (também Património Mundial) e Sacramonte.

Onde dormir em Granada – Bairro Albaicín (2 noites)

Apartamentos:

Grupo de turistas orientais a pintar o Alhambra, Granada, Andaluzia
Grupo de turistas orientais a pintar o Alhambra

7. Serra Nevada e aldeias de La Alpujara

La Alpujara foi o último refúgio dos mouros depois da reconquista de Granada em 1492. É uma região montanhosa na encosta sul da Serra Nevada, onde sobressaem aldeias de casas brancas sem telhado, como Soportújar, Pampaneira e Trevélez, a fazer lembrar as de Marrocos.

Nas ruelas apertadas e íngremes, há gatos fugidios, fontes de água pura, sardinheiras nas janelas e cortinas de pano a cobrir as portas da entrada.

Onde dormir em La Alpujara (1 noite)

Apartamentos:

Rua em La Apurjarra
Rua em La Apurjarra

8. Parque Natural Cabo de Gata-Níjar

Dada a sua origem vulcância, é uma das paisagens mais áridas da Europa, onde existem praias míticas, como a Praia dos Mortos, a Praia dos Genoveses e a Praia de Mónsul.

Onde dormir no Parque Natural Cabo de Gata-Níjar (1 noite)

Igreja das Salinas, Cabo de Gata
Igreja das Salinas, Cabo de Gata

9. Frigliana

Considerada o “pueblo” mais bonito de Málaga, é uma típica localidade do interior andaluz, com casas caiadas de branco e ruas íngremes e estreitas. Como é pequena, pode-se visitar em pouco mais de uma hora.

Dica | Se tiver tempo, dê um saltinho a Nerja onde foi filmada a lendária série de televisão “Verão Azul”.

10. Málaga

É uma cidade cosmopolita com cheiro a mar, que se tem vindo a afirmar como principal pólo da cultura contemporânea no sul de Espanha.

A não perder | A Fundação-Museu Casa Natal de Picasso, a catedral, o Alcazár e o teatro romano.

Estátua da "Paloma Quiromántica", um cumprimento de boas vindas a Málaga
“Paloma Quiromántica”, no centro de Málaga, um cumprimento de boas vindas à cidade

11. Torcal de Antequera

Trilho de 3 km que percorre uma paisagem natural declarada Património da Humanidade.

Dica | Nas proximidades, ficam os Dólmenes de Antequera, o mais recente Património Mundial em Espanha.

Onde dormir em Antequera (1 noite)

Torcal de Antequera
Torcal de Antequera

12. Caminito del Rey

Caminhada de 7,7 km por aquele que até há pouco tempo era considerado o percurso pedestre mais perigoso do mundo.

Ponte suspensa no Caminito del Rey
Ponte suspensa no Caminito del Rey

13. Ronda

Localizada rente a um desfiladeiro profundo, é uma povoação que ninguém esquece. O seu monumento mais famoso é a Ponte Nova, mas também vale a pena visitar os vários miradouros, a praça de touros e “callejar” pelas suas ruas antigas, cheias de palácios senhoriais, praças e uns banhos árabes.

Onde dormir em Ronda (1 noite)

Apartamentos:

Ponte Nova, Ronda
Ponte Nova de Ronda

14. Setenil de las Bodegas

Uma terra onde as casas levam as montanhas às costas.

Casas construídas por baixo das rochas em Setenil
Casas construídas por baixo das rochas em Setenil

15. Olvera

Como lemos à entrada de Olvera, para visitar este “pueblo blanco” o melhor é “parar o carro fora do centro histórico e calçar as sapatilhas”. No topo da colina, por onde sobem as casas, ficam um castelo e uma imponente igreja, símbolos dos poderes dominantes à época medieval.

Onde dormir em Olvera (1 noite)

16. Zahara de la Sierra

É um dos “pueblos blancos” mais bonitos da Andaluzia, sobretudo à distância, de onde se vêem: um castelo no cimo do rochedo mais alto; o casario branco mais abaixo; uma albufeira no sopé e o Parque Natural da Serra de Grazalema a toda a volta.

Vista da Serra de Grazalema a partir do castelo de Zahara de la Sierra
Vista da Serra de Grazalema desde o castelo de Zahara de la Sierra

17. Arcos de la Frontera

É considerada uma das povoações mais bonitas de Espanha, não só devido à sua localização vertiginosa no topo de uma rocha vertical sobre um rio, mas também devido à riqueza que guarda: um traçado com alma moura; ruelas íngremes e estreitas; palácios, igrejas e conventos no meio do casario apertado e, no ponto mais alto, uma Praça Maior com laranjeiras a toda a volta, onde se situam o Castelo de Arcos (antigo alcazár árabe), a Igreja de Santa Maria da Assunção e ainda um vertiginoso miradouro para uma planície a perder de vista.

Onde dormir em Arcos de la Frontera (1 noite)

Apartamentos:

Arcos de la Frontera
Arcos de la Frontera, um dos “pueblos” mais bonitos de Espanha

18. Gibraltar

A visitar, pela piada quer de ver o “calhau” quer de entrar em território britânico quer de passar de carro pelo meio de uma pista de aviação.

Mesquita em Gibraltar
Mesquita em Gibraltar

19. Tarifa

Indo a Gibraltar, também vale a pena dar um saltinho à meca dos “kitesurfers”, neste que é o ponto mais a sul da Europa, onde se juntam o mar mediterrâneo e o oceano atlântico.

Ponto onde se juntam o mar mediterrâneo e o oceano atlântico em Tarifa
Tarifa, onde o mar mediterrâneo se junta ao oceano atlântico

20. Cádis

Situada numa pequena península, a cidade de Cádis está rodeada quase na sua totalidade por água. Se estiverem na dúvida sobre se vale a pena visitá-la, vão por nós: têm de incluir o seu centro histórico nos vossos planos de viagem.

Onde dormir em Cádis (1 noite)

Apartamentos:

21. Parque Nacional de Doñana

O nosso roteiro termina nesta área natural protegida, declarada Património da Humanidade, onde descansam muitas aves migratórias.

Na povoação de El Rocío, realiza-se uma das maiores festas de Espanha – a Romaria da Virgen del Rocío – em homenagem à sua adoradíssima virgem.

Onde dormir no Parque Doñana (1 noite)

Apartamentos:

Crianças de Aracena a treinar para carregar um andor na Semana Santa
Crianças de Aracena a treinar para carregar um andor na Semana Santa

Roteiro de 1 semana na Andaluzia

  • Dias 1 e 2 | Sevilha
  • Dia 3 | Córdoba (dia inteiro)
  • Dia 4 | Córdoba (de manhã) > Granada (à tarde)
  • Dia 5 | Granada (de manhã) > Torcal de Antequera (à tarde)
  • Dia 6 | Caminito d’El Rey (de manhã) > Ronda (à tarde)
  • Dia 7 | Arcos de la Frontera (de manhã) > Cádis (à tarde)

Mapa do roteiro de 1 semana na Andaluzia

Andaluzia, mapa do que visitar em 1 semana
Mapa da Andaluzia com indicação dos locais a visitar numa “road trip” de uma semana

Notas:

  • Os 2 roteiros sugeridos não incluem os dias de viagem de/ para Portugal;
  • Ambos os roteiros são bastante preenchidos. Contudo, o número de dias que propomos é meramente indicativo. Caso queira prescindir de alguns locais ou passar mais tempo nalgum deles, poderá fazer os itinerários em menos ou mais tempo.

Dicas para conduzir na Andaluzia

  • A maioria das auto-estradas na Andaluzia são gratuitas. Apenas as AP são pagas;
  • Abasteça de combustível em Espanha que é mais barato.

O que comer na Andaluzia

Porque “tapear” é uma parte tão importante do quotidiano andaluz e viajar também é provar a comida local, eis uma lista de sabores tradicionais da Andaluzia:

  • Gaspacho andaluz | Uma sopa fria à base de tomate
  • Salmorejo cordobês | Sopa fria e cremosa de vegetais
  • Ajoblanco | Sopa fria de pão e amêndoas moídas
  • Trigueros | Espargos selvagens
  • Gurumelos | Uma espécie de cogumelos selvagens
  • Callos con garbanzos | Grão de bico com enchidos
  • Azeitonas “aliñadas” | Azeitonas condimentadas com ervas aromáticas e vários segredos
  • Pescaíto frito | Peixinhos fritos (nas zonas costeiras)
  • Rabo de Touro
  • Alcachofras

Para acompanhar, sugerimos os Vinhos de Jerez, produzidos na Andaluzia, mais propriamente em Jerez de La Frontera, onde existem várias “bodegas” (adegas) que se podem visitar.

As típicas azeitonas aliñadas
As típicas azeitonas aliñadas

Quando visitar a Andaluzia

  • A primavera (Março a Junho) e o outono (Setembro a Dezembro) são as melhores alturas para visitar a Andaluzia, já que o clima é ameno. Nas zonas montanhosas, há que ir, mesmo assim, preparado para o frio, já que as temperaturas podem descer até aos zero graus;
  • No verão, as temperaturas podem ultrapassar os 40 graus e, por isso, os meses de junho a setembro devem ser evitados, a não ser que a intenção seja fazer praia.

Outros roteiros de carro em Espanha

Se gostou deste artigo, pode deixar um comentário em baixo e seguir-nos pelo Instagram e Facebook. A si não custa nada e a nós motivar-nos-á a partilhar mais experiências de viagem. Boas viagens à solta!

3 Comentários

  1. Carlos Murilo Câmara Ribeiro

    Pretendo fazer o roteiro de uma semana com minha esposa na Andaluzia. Porém, pretendo antes conhecer o interior de Portugal, de carro.
    Sairemos de carro de Lisboa até Albufeira. Talvez seria melhor começarmos o roteiro da Andaluzia por Gibraltar.

  2. Coisa linda eu vou com a minha esposa deixa passar essa pandemia

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *