Caminhamos por passadiços de madeira suspensos sobre desfiladeiros altíssimos, espreitando o abismo debaixo dos pés. Estamos no Caminito del Rey, em Espanha, naquele que até há pouco tempo era considerado o percurso pedestre mais perigoso do mundo.

Ligando as povoações de Ardales e El Chorro, este trilho histórico começou por ser um caminho de serviço de uma das primeiras centrais hidroelétricas de Espanha, devendo o seu nome à visita do rei Afonso XIII, que o inaugurou e percorreu em 1921. O Caminito del Rey passou, mais tarde, a ser aproveitado pelos habitantes da zona para fazer trajetos diários entre as duas localidades, até que, já muito degradado, causou a morte a curiosos de todo o mundo, tendo permanecido fechado desde 2001.

Recuperado e inaugurado oficialmente em Março de 2015, a primeira parte deste percurso histórico faz-se atualmente por um trilho de terra batida pelo meio de um pinhal, um trilho ao princípio plano acompanhando a ondulação da montanha, depois a descer suavemente até ao rio verde-esmeralda que corre no fundo.

Ao fim de 2,7 km (aproximadamente 50 minutos), chegamos a uma cabine onde são controladas as entradas no Caminito del Rey propriamente dito, de acordo com a hora reservada por cada visitante aquando da compra online dos bilhetes. A entrada é feita em pequenos grupos, a cada meia hora, seguindo depois cada pessoa ao seu próprio ritmo – o que significa que teremos frequentemente o Caminito só para nós.

É no Desfiladeiro dos Gaitanejos que vemos, pela primeira vez, o arrepiante passadiço de um metro de largura, apoiado, nas alturas, por suportes presos na face das rochas. Tudo é intenso e cativante. Enquanto andamos, vemos o precipício debaixo dos pés, por entre as tábuas de madeira. Vêmo-lo também mesmo ao nosso lado, separado por redes metálicas. E queremos fotografar tudo – o escarpadíssimo desfiladeiro cavado pelo rio Guadalhorce que corre tão lá no fundo, o passadiço aéreo, os grifos que voam por cima de nós – como, se assim, pudéssemos guardar para sempre as emoções que sentimos.

Depois do Desfiladeiro dos Gaitanejos, acompanhamos o rio por um trilho florestal de 1,4 km, ao longo do Vale de Hoyo, até chegarmos ao Desfiladeiro dos Gaitanes.

Com paisagens igualmente incríveis, é aí que observo com mais atenção o Caminito del Rey primitivo, que permanece tão intacto quanto possível debaixo dos passadiços vertiginosos que percorremos. Nalguns trechos, os ferros que lhe davam forma já não existem, o piso ruiu e os corrimões desapareceram. Por causa disso, pessoas de todo o mundo perderam aí a vida, caindo ao vazio.

No final do desfiladeiro, chegamos à parte preferida da maioria dos visitantes – o Balconcillo de los Gaitanes – onde já não temos o precipício somente debaixo dos pés, mas a toda a nossa volta, enquanto atravessamos uma ponte suspensa sobre o abismo. Mesmo ao lado, permanece a ponte primitiva, a lembrar-nos o antigo Caminito del Rey e o fenomenal trabalho de recuperação que nos permitiu viver finalmente o que dantes só podíamos imaginar.

Guia prático para fazer o Caminito del Rey

Onde fica

O Caminito del Rey fica no sul de Espanha, na província de Málaga (Andaluzia).

Como chegar

  • De carro: desde Málaga (60 km, 50 minutos), Antequera (34 km, 45 minutos) ou Ronda (60 km, 1 hora);
  • De comboio: há um comboio diário para “El Chorro – Caminito del Rey” tanto a partir de Sevilha como de Málaga. Os horários (ida e volta) e os preços dos bilhetes podem ser consultados no site oficial do Caminito.

Caracterização do percurso

  • Extensão: 7,7 km
  • Duração: 3 a 4 horas
  • Grau de dificuldade: fácil (o percurso é descendente e plano, com exceção de várias escadas na parte final dos passadiços)
  • Tipo de percurso: linear
  • Ponto de partida: Ardales (zona norte)
  • Ponto de chegada: El Chorro (zona sul)

Informações gerais

  • Só é possível fazer o percurso na direção norte-sul;
  • Há um autocarro que faz a ligação entre o ponto de partida e de chegada (e vice-versa);
  • Existem parques de estacionamento quer em Ardales quer em El Chorro.

A nossa sugestão

1. Estacionar o carro em El Chorro (zona sul) que é onde termina o percurso, de modo a ter o carro logo disponível no final da caminhada;

2. Depois de estacionar o carro, apanhar o autocarro na estação de comboios de “El Chorro – Caminito del Rey” que fica muito perto do parque de estacionamento. Os autocarros partem de 30 em 30 minutos e demoram cerca de 25 minutos a chegar a Ardales, que é onde começa a caminhada. Os horários podem ser consultados no site oficial do Caminito. Preço: 1,55 euros (os bilhetes de autocarro podem ser comprados no site ou no próprio local);

3. Sair na paragem junto ao “Bar-Restaurante El Kiosko”. Ao lado deste, há um túnel com um sinal a indicar “Caminito del Rey, 2,7 km”. Daí até ao Posto de Controlo de Entradas demora-se cerca de 50 minutos. Há uma opção mais curta de 1,5 km (20 minutos) mas, segundo nos disse um habitante local, não é tão bonita.

Uma vez chegados ao Posto de Controlo, os bilhetes são controlados e tem de se esperar entre 15 a 30 minutos até se formarem os grupos de visita correspondentes à hora reservada por cada visitante aquando da compra online dos bilhetes de acesso. Antes de avançarmos, é-nos dado um capacete individual e são-nos explicados tanto as várias partes do percurso como algumas regras de conduta.

Partes do percurso

Em resumo, o Caminito del Rey é composto por 5 partes, nomeadamente:

  • Trilho florestal, na zona norte, até ao Posto de Controlo de Entradas (2,7 km)
  • Passadiço no Desfiladeiro dos Gaitanejos
  • Trilho florestal do Vale de Hoyo (1,4 km)
  • Passadiço no Desfiladeiro dos Gaitanes
  • Caminho de saída até à estação de comboios “El Chorro – Caminito del Rey” (2,1 km)

Compra de bilhetes

É possível comprar os bilhetes no próprio Caminito, nomeadamente no Posto de Controlo de Entradas, na zona norte. Contudo, dado o grande número de visitantes, é altamente recomendável reservar os bilhetes com antecedência no site oficial.

Quando fecha

  • Todas as segundas-feiras;
  • Nos dias 1 de Janeiro, 24, 25 e 31 de Dezembro;
  • Nos dias de chuva ou de vento excessivos. Essa informação é veiculada no site oficial.

Proibições

  • Entrada a menores de 8 anos de idade;
  • Animais;
  • Chinelos e sapatos de salto alto;
  • Guarda-chuvas, bastões de caminhada, selfie sticks e tripés;
  • Fumar, deitar lixo para o chão e fazer barulho, afinal estamos numa paisagem natural protegida.

Recomendações

1. Ao longo do trajeto, não há casas de banho (é aproveitar as que existem no Posto de Controlo ou, então, esperar até às que existem na parte final do percurso);

2. Levar:

  • Água e comida, como por exemplo: chocolates, barras energéticas, frutos secos e fruta;
  • Calçado de caminhada;
  • Uma mochila pequena para ir com as mãos livres;
  • Protetor solar, sobretudo durante o verão;

3. Apesar de seguríssimo, o trilho não é recomendável a quem sofra de vertigens.

Onde dormimos

Hotel Convento de la Magdalena, a extravagância desta viagem à Andaluzia (85 euros).

É um convento convertido em hotel de 5 estrelas nas proximidades de Antequera, com spa, pequeno-almoço a condizer, banheiras de hidromassagem em cada quarto, claustros, lareiras e um mundo rural a toda a volta.

Reservar Convento de la Magdalena

Caminhada feita no dia 15 de Março de 2017

Se gostou deste artigo, pode deixar um comentário ou seguir o Facebook e o Instagram do Viagens à Solta. A si não custa nada e a nós motivar-nos-á a partilhar mais experiências de viagem.

Veja ainda:

6 Comentários

  1. Há anos que sonho em fazer uma viagem pelo sul de Espanha (principalmente pela Andaluzia) e confesso que o Caminito del Rey está no topo dos locais que quero visitar! Ler como foi a vossa experiência e ver as vossas fotos aguçou (ainda mais) a minha vontade de um dia lá ir! Obrigada pela partilha!

  2. Boa noite,

    No dia em que vou fazer o trilho so ha bilhetes disponiveis para as 9h45, Por isso tenho que chegar a El Chorro +/- a que horas? tendo em conta que temos que ir de autocarro de El Chorro ate Ardales e ainda ter um trilho pela frente de 50 min ate ao posto de Control0 ?

    Muito obrigado pela boa informaçao que o site contem
    Hugo Baptista

  3. Olá Hugo,

    Só há autocarros de El Chorro para Ardales a partir das 9h30 (pode ver os horários aqui: http://static.sopde.es/malaga/subidas/archivos/7/6/arc_255167_v2.pdf). Como vai cedo, o melhor é deixar o carro em Ardales, onde deverá chegar cerca de uma hora antes (8h45), de maneira a chegar ao Posto de Controlo às 9h45.

    Boa caminhada!

  4. Fiz recentemente este percurso e as informações aqui recolhidas foram-me muito úteis. Obrigado aos autores do Blog.
    No entanto, há que ter em conta que este Caminito está muito popular e convém comprar os bilhetes com meses de antecedência (procurem o link lá acima).
    A viagem com guia custa mais 8 euros, mas poderá ter algumas vantagens. O guia vai dando informações adicionais e também chamando a atenção para os locais onde se vêem fósseis ou umas cabras de montanha ou ainda uma mãe javali com a sua ninhada de filhos. Coisas que eu não teria notado sem guia. A maior desvantagem de ir com guia é a de ter que fazer o percurso ao ritmo dele (embora no meu caso o guia tivesse sido bem paciente para os mais lentos do grupo).
    Em vez de deixar o carro perto da saída, deixei perto da entrada. Dá para almoçar perto da entrada norte (Restaurante El Kiosko) e explorar esta zona. Dá para subir a um miradouro e ter uma vista magnífica sobre os lagos criados pelas 3 barragens (a menos de 4 Km a norte do Kiosko). O enquadramento paisagístico desta zona é fantástico. Portanto, por favor não façam planos apenas com o Caminito e reservem mais algum tempo para explorar a área. Eu também tirei muitas fotos fora do Caminito.

  5. Com certeza será um Camino a percorrer em breve, grato pelas informações, pois fizemos eu minha esposa o Camino Francês de Santiago, e como nos foi maravilhoso pois a recepção de onde passamos e por quem nos receberam pelo caminho foi de extrema cordialidade amamos a Espanha , e aqui temos dicas suas que nos tranquilizam a percorrer outros tramos, gratidão e forte abraços

    • Caro Gefferson, vai adorar o Caminito del Rey! Nós também amamos Espanha e havemos de publicar ainda mais artigos sobre o país de “nuestros hermanos” 😉

      Fortes abraços e boas viagens!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *