O parque Durmitor fica dentro de mim, num lugar onde guardo árvores altas, lagos, montanhas, pensamentos serenos e amor.

Visitámo-lo quase no final da viagem que fizemos de carro pela Croácia, Bósnia-Herzegovina e Montenegro. Durante quinze dias, visitámos cidades como DubrovnikMostar, Kotor e Sarajevo. Nadámos no mar azul-mágico do Adriático. Caminhámos no belíssimo Parque Plitvice. Andámos de barco no Parque Nacional Skadar. Faltavam-nos, todavia, as montanhas e a tranquilidade que elas nos conseguem dar.

O Montenegro é um destino fabuloso para quem gosta de natureza. Do tamanho de metade do Alentejo, contém cinco parques nacionais, entre os quais o Parque Nacional Durmitor, declarado Património da Humanidade. Passámos aí dois dias e a nossa grande dificuldade foi decidir o que ver e fazer em tão pouco tempo. Não vos poderíamos, pois, recomendar tudo nem o melhor, mas tão somente aquilo de que mais gostámos nesta área natural protegida e cheia de paisagens deslumbrantes, incluindo uma das últimas florestas virgens de pinheiros na Europa, lagos glaciares e desfiladeiros gigantes.

O que fazer no Parque Nacional Dutmitor (roteiro de dois dias)

1. Caminhada em redor do Lago Negro (Crno Jezero)

Trata-se do maior e mais profundo dos 18 olhos da montanha (como por aí chamam aos lagos) existentes em Durtmitor. O seu nome deve-se ao facto de toda a vegetação envolvente ser de “pinheiros negros” que, ao refletir-se na água, lhe dão uma tonalidade mais escura. Ao seu redor, há um trilho bem marcado com 4 km de extensão, um dos mais fáceis e conhecidos do parque nacional. Além da paz que sentimos, recordamos com saudade o cão-salsicha que encontrámos no caminho e que nos acompanhou fielmente até ao carro. Na despedida, demos-lhe pão com salame. Devorou o último, mas o primeiro deixou-o ficar. Sabendo que não tinha fome, partimos com menos pena de o deixar sozinho.

Caracterização do percurso: circular, 4 km, 2h30, fácil

2. ‎Caminhada até aos lagos Barno e Zminje

Esta foi para nós uma caminhada épica, já que a fizemos no meio de um temporal repentino. Caminhámos sozinhos, à chuva, por uma floresta sombria de pinheiros imensos, sob o som de trovões e uma nuvem de mosquitos, como um véu, atrás de cada um de nós. Quase no final, um senhor quis dar-nos boleia e, se na altura, maldissemos os mosquitos e a chuva, hoje é uma das caminhadas que recordamos com mais sorrisos.

Caracterização do percurso: 5,7 km, 2 horas, fácil (início a partir do Lago Negro)

3. ‎Caminhada em Curevac

O desfiladeiro do rio Tara é o mais profundo da Europa, só sendo ultrapassado, a nível mundial, pelo Grand Canyon. Um dos melhores locais para o ver é a partir do miradouro existente em Curevac, ao qual se acede através de um curto trilho bem marcado, montanha acima.

Caracterização do percurso: linear, 1 hora, intermédio

4. ‎‎Atravessar a pé a ponte sobre o rio Tara

A ponte Djurdjevica, considerada a mais bonita do Montenegro e “um milagre feito pela mão do Homem”, é outro local ideal para ver o impressionante desfiladeiro cortado pelo rio Tara. Curiosamente, um dos engenheiros da ponte, Lazar Jauković, ajudou a destruí-la para travar a invasão das forças italianas durante a Segunda Guerra Mundial. Mais tarde, foi executado pelos italianos, mas o seu busto está no início da ponte, para nos lembrarmos da sua história.

5. ‎Seguir pela estrada que conduz à Bósnia-Herzegovina

A viagem de carro entre Durmitor e Sarajevo foi, para mim, a mais bonita que fizemos nos Balcãs. Atravessámos os ondulantes vales verdes de Durmitor, passando por grandes rebanhos e campos floridos. Descemos ao fundo do desfiladeiro do rio Piva, acompanhando as suas águas azuis-turquesa. Admirámo-nos com a quantidade de túneis e com os pinheiros que cresciam nas encostas íngremes do desfiladeiro, como se nascessem da pedra. Saímos mil e uma vezes do carro tentando captar tudo o que víamos. E ainda demos boleia a um senhor de idade que encontrámos sozinho no meio das montanhas. Não chegámos a perceber para onde queria ir, porque vários quilómetros depois pediu-nos para parar o carro e foi pedir boleia a outros turistas que seguiam na direção contrária.

Dicas:

  • Demorámos 6 horas entre Zabljak (Durmitor) e Sarajevo, incluindo muitas paragens para fotografar e outra para almoçar junto à fronteira entre o Montenegro e a Bósnia-Herzegovina.
  • Apesar da recente Guerra da Bósnia, a estrada é segura e está em bom estado, à exceção dos primeiros quilómetros a seguir à fronteira, que tinha muitos buracos.

Guia prático para visitar Durmitor

Como chegar

O Parque Nacional Durmitor fica no noroeste do Montenegro, entre os rios Tara e Piva, e é bastante remoto. A melhor forma de lá chegar é de automóvel, mas também há autocarros. Daí até à capital, Podgorica, são cerca de 3 horas de viagem.

Quando visitar

A primavera e o outono são as estações ideais para quem procura sossego, já que há menos visitantes do que no verão. No inverno, a cidade de Zabljak é a principal estância de esqui do Montenegro.

Dicas para visitar o parque

  • A entrada no Parque Nacional é paga. Em Junho de 2017, um bilhete para um dia custava 3 Euros e um bilhete para dois ou três dias, 6 Euros;
  • Há vários fiscais a controlar os bilhetes no parque, incluindo em zonas remotas;
  • O Centro de Visitantes do Parque Nacional Durmitor fica perto do Lago Negro e é um bom ponto de partida para explorar o parque, já que lhe poderão dar toda a informação necessária;
  • Se quiser fazer “rafting”, uma das atividades mais famosas em Durmitor, no centro de visitantes também o poderão informar. O período mais seguro para a sua prática é de 1 de Julho a 15 de Setembro;
  • Se for caminhar, é importante levar repelente para insetos, um impermeável e um agasalho para o final do dia.

Onde dormir

Apesar de termos ficado a dormir perto da ponte sobre o rio Tara, se fosse hoje, teríamos optado por Zabljak, a principal localidade em Durmitor, uma vez que tem mais alojamentos, restaurantes, supermercados, bancos e boas acessibilidades.

Reservar alojamento em Zabljak

Onde (gostámos de) comer

Restaurante e café-bar Or’O, em Zabljak. O restaurante é excelente, desde a decoração à comida, com destaque para o cabrito assado à moda de Durmitor.

Se gostou deste artigo, pode deixar um comentário e seguir o Facebook e o Instagram do Viagens à Solta. A si não custa nada e a nós motivar-nos-á a partilhar mais experiências de viagem.

Veja ainda:

7 Comentários

  1. Espectacular.

    Dei pelo vosso blog através do Alma de Viajante do Filipe Morato Gomes e não tenho conseguido deixar de cá passar de vez em quando, ficando sempre maravilhado com a vossa fotografia, mas também com a simplicidade e qualidade dos conteúdos (e a óptima selecção de destinos —
    internos ou lá fora). São sem dúvida uma inspiração, tanto para viagens futuras como a nível do que é um blog bem feito.

    O Durmitor já está nos meus favoritos do google maps, bem como outras dicas mais específicas que deram (como a ponte sobre o Rio Tara, ou a vila onde recomendam procurar alojamento).

    Aquelas duas primeiras fotografias do Lago Negro rodeado de verdinho nem deram hipótese.

    Obrigado e força nessas andanças!

  2. Fantástico.
    Encontrei este blog por acaso, e só por ver as fantásticas imagens fiquem com bastante entusiasmo por visitar este local. Gosto particularmente da parte das dicas

  3. Olá,

    Adorei ler o vosso blog sobre a viagem à Croácia, Bósnia e Montenegro.

    Vou estar no Parque Nacional Durmitor no próximo mês, e como mencionam que a viagem que mais gostaram de fazer foi entre Zabljak e Sarajevo, e uma vez que também vamos de Zabljak para Sarajevo, gostaria de saber qual dos percursos fizeram uma vez que o google apresenta dois trajectos. O indicado pelo google maps é de 167 km h 3,57 e um alternativo de 225 Km h 4:20.

    Grata pela vossa ajuda,
    Maria João

    • Olá Maria João,
      A estrada que fizemos foi a P14 que atravessa o parque. O resto não sabemos se é bom ou não, mas a P14 é garantidamente muito cénica 🙂
      Boa viagem.

  4. Obrigado pelos conteúdos fantásticos.
    Estou neste momento em Durmitor e a previsão é de chuva.
    O que recomendariam fazer ?
    Estamos em Zabljak; como devemos proceder para entrar no parque? Alguma dica?
    Obrigado

    • Olá Paulo, nós também apanhámos alguma chuva quando estivemos em Durmitor. Recomendo que façam os passeios de carro que sugerimos no artigo e que façam algumas caminhadas, mesmo com chuva (comprem uns impermeáveis se for preciso). Relativamente à entrada no parque, nas zonas mais turísticas como no Lago Negro (Crno Jezero), há barraquinhas de madeira onde vendem bilhetes para visitar todo o parque. Nas outras zonas, costumam andar fiscais a controlar as entradas, que também vendem bilhetes. Boa viagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *