Os Alpes são a cadeia montanhosa mais alta e extensa da Europa, alongando-se pela França, Itália, Suíça, Alemanha e Áustria. Como só tínhamos cerca de duas semanas disponíveis, optámos por não visitar a parte francesa.

Na sequência da nossa viagem recente nos Alpes, eis um conjunto de dicas que o vão ajudar a organizar a sua própria viagem.

Dicas para viajar nos Alpes

Regime de entrada

Os cidadãos portugueses não necessitam de visto para os Alpes. Basta o passaporte nacional ou o cartão de cidadão/ bilhete de identidade válidos para entrar no seu território, incluindo na Suíça.

Quando visitar os Alpes

  • Dezembro a Março | Estação da neve, ideal para praticar esqui e outros desportos de inverno;
  • Junho a Setembro | Os dias tendem a ser mais ensolarados e limpos, possibilitando avistar todos os cumes. É o período ideal para fazer caminhadas.

Atenção | Muitos teleféricos, restaurantes e pousadas só estão abertos de final de Dezembro a Março e de final de Junho a Setembro. Tenha isso em consideração quando planear a sua viagem.

Voos para os Alpes

Os aeroportos mais próximos dos Alpes italianos/ Dolomitas são Veneza (a 147 km de Cortina d’Ampezzo), Milão Bergamo (a 236 km de Bolzano) e Milão Malpensa (a 320 km de Bolzano).

Também há voos diretos de Portugal para Munique (Alemanha), para Lyon (França) e ainda para Zurique, Genebra e Basileia (Suíça).

Dicas para conseguir preços baratos:

  • É recomendável comprar os voos com alguma antecedência e ter flexibilidade de datas;
  • Convém comparar os preços dos voos para os vários destinos;
  • Se estiver a planear alugar um carro, compare também os preços praticados em cada destino.

Por uma questão logística, nós decidimos começar e acabar o nosso roteiro em Itália (Milão Malpensa).

Quantos dias são necessários para visitar os Alpes

Sendo os Alpes a cadeia montanhosa mais vasta da Europa, é impossível visitá-los, na sua totalidade, num curto espaço de tempo. É preciso, pois, fazer escolhas em relação aos países que se querem incluir na viagem.

Vejam o nosso roteiro de viagem nos Alpes, com 18 dias de duração, para conhecer os lugares que visitámos, (em breve no blogue) e ainda o nosso roteiro de uma semana na Eslovénia.

Onde dormir

À semelhança dos voos, convém reservar os alojamentos com antecedência, porque esgotam rapidamente, tanto no verão como no inverno.

As nossas bases nos Alpes foram:

Alugar um carro

Se tiver poucos dias disponíveis, a melhor maneira de fazer um bom roteiro nos Alpes é alugando um automóvel. Para o nosso roteiro nos Alpes, gastámos no total 250 € com o aluguer do carro, com seguro de reembolso da franquia com super cover.

Atenção | Não se esqueça de confirmar com a companhia de rent-a-car que pode levar o carro para outros países.

Gasolina | Na Áustria e Alemanha é mais barata do que em Portugal. Na Suíça e Itália o preço é semelhante ao nosso.

Câmaras e radares | São quase omipresentes. Por isso, é preciso ter cuidado, especialmente nas Dolomitas onde, por vezes, o limite de velocidade é 30 km/h.

Vinhetas para circular nas vias rápidas e auto-estradas

  • Na Áustria e na Suíça são precisas vinhetas para circular nas vias rápidas e auto-estradas. Podem-se comprar online ou, então, nas bombas de gasolina, à entrada do país – é muito simples e foi o que nós fizemos;
  • Na Itália, as auto-estradas pagam-se nas portagens;
  • Na Alemanha, não há portagens.

Cartão Europeu de Saúde

Este cartão de saúde é gratuito e pode ser usado pelos portugueses em qualquer Estado-Membro da União Europeia, bem como na Suíça, Liechtenstein, Islândia e Noruega. Basta apresentá-lo junto dos prestadores de cuidados de saúde públicos desses países, para obter a assistência médica de que necessitar.

Apesar de não termos precisado dele nos Alpes, já o usámos quer na Islândia quer em Espanha e funcionou sempre bem.

Mais informações sobre este cartão em: http://www.seg-social.pt/pedido-cartao-europeu-seguro-doenca

Dinheiro

  • Na Itália, Áustria e Alemanha, usámos sempre os cartões bancários portugueses quer para levantar dinheiro quer para efetuar pagamentos. Uma vez que esses países se situam na zona euro, não são cobradas quaisquer comissões.
  • Na Suíça, usámos o cartão revolut. Sempre que possível, efetuámos os pagamentos com esse cartão, evitando, assim, pagar taxas e comissões bancárias. O cartão revolut permite também levantar um máximo de 200€ (por cada 30 dias, no plano standard), sem comissões.

    A moeda oficial é o franco suíço (Fr./CHF). O Euro é, em muitos casos, aceite como meio de pagamento, recebendo-se o troco na moeda local.

Telemóvel e internet

  • A Itália, Áustria e Alemanha pertencem à União Europeia. Por isso, não se paga roaming para usar telefone e internet.
  • Na Suíça, poderá comprar um SIM Card. Como só ficámos 4 noites no país, optámos por não comprar um, acedendo à internet sempre que era gratuita, principalmente nos hotéis. Para aceder ao GPS, descarregámos previamente os mapas para o telemóvel, de modo a tê-los disponíveis offline.

Mais artigos sobre os Alpes:

Se gostou deste artigo, pode deixar um comentário e seguir o Facebook e o Instagram do Viagens à Solta. A si não custa nada e a nós motivar-nos-á a partilhar mais experiências de viagem.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *