Andar num carrinho de mão. Apanhar ovos no galinheiro. Subir às árvores para comer fruta. Andar de bicicleta. Correr com os pés descalços na relva. Tomar banho no tanque de pedra. Estas são algumas das minhas memórias preferidas da infância: memórias que redescobri – e que as (suas) crianças poderão criar – na aldeia da Travancinha.

É lá que fica o Chão do Rio, uma quinta com oito hectares e cinco casas chamadas Cotovia, Ribeira, Pastor, Churra e Loba. São casas de pedra com telhados cobertos por giestas, tão bonitas por dentro como por fora.

Por dentro, têm dois andares. No rés-do-chão, há uma kitchenette equipada, uma área de refeições e de estar, uma lareira e uma casa de banho. No primeiro andar, fica o quarto e uma mansarda com vista para a piscina. Não é uma piscina qualquer. É uma piscina biológica onde moram rãs saltitonas e onde crescem nenúfares e outras plantas aquáticas.

A dona do Chão do Rio chama-se Catarina, uma senhora que adora o campo e que nos quer mostrar os pequenos prazeres da vida, juntamente com as suas ajudantes: a D. Emília e a Sofia. Como? Em cada casa, colocam um cesto cheio de produtos para o nosso pequeno-almoço, incluindo requeijão, mel e bolo negro da Serra da Estrela, ovos frescos da própria quinta e doce de abóbora caseiro. Entregam pão quentinho todos os dias às 17:00h. Deixam sabonetes artesanais de mel e leite de cabra na nossa banheira. Isto dentro de casa, porque na herdade também criaram uma série de experiências para apreciarmos as pequenas coisas da vida. Só lhe vamos contar alguns segredos, para não estragarmos a surpresa.

Subimos a uma cerejeira para comer cerejas

Andámos de bicicleta

Espreitámos as galinhas para ver se havia ovos

Cumprimentámos a Flor e a Estrela, as ovelhas da quinta. Quando lhes abrimos a porta de manhã, olharam-nos desconfiadas. Depois percebemos porquê. Quando viram a D. Emília com a ração, ficaram todas contentes.

Rimo-nos com os óculos de sol do espantalho na horta

Tocámos os antigos chocalhos das ovelhas pendurados numa árvore

Andámos de baloiço

Nadámos na piscina biológica no meio das rãs e dos nenúfares, a temperatura da água aprazível, uma maravilha!

Em 15 de outubro do ano passado, quando deflagraram no país mais de 500 incêndios, houve um grande fogo florestal em Travancinha e o bosque que havia no Chão do Rio ardeu. A D. Catarina e a família devem ter ficado muito tristes, mas não esmoreceram. Com vários ajudantes, limparam tudo e começaram a semear novas árvores: árvores autóctones, mais resistentes ao fogo, como o medronheiro, o carvalho e o castanheiro.

Face aos incêndios florestais, cabe a cada um de nós fazer a diferença, seja a semear árvores, seja a não isolar as populações afetadas, deixando de as visitar. Ao conversar com a Sofia, vimos a alegria e o orgulho que sentia ao contar-nos que algumas das bolotas e sementes que foi escavando na terra tinham vingado e já se podiam ver pequenas árvores.

Gostámos de tudo no Chão do Rio: das árvores que semearam, da casa em que ficámos, do pequeno-almoço, de adormecer com o som das rãs, de acordar com o sino da igreja, dos carrinhos de mão para empurrar as crianças, de nadar no lago; enfim, de todas as vivências que nos fizeram sentir especiais e felizes como quando éramos crianças.

Guia prático

Localização

O Chão do Rio – Turismo de Aldeia situa-se na aldeia de Travancinha, a 12 km (20 minutos de carro) do centro de Seia, na Serra da Estrela.

É composto por 6 casas, uma delas maior, chamada Cumeada. Em todas são permitidos animais de estimação.

Reservar Chão do Rio

Onde comer

  • Poderá preparar as suas próprias refeições no conforto da sua casa ou fazer um churrasco nas churrasqueiras exteriores. Na aldeia da Travancinha, há um mini-mercado e um café onde se poderá abastacer (as pessoas da aldeia ficam todas contentes quando vêem caras novas);
  • Se não quiser cozinhar, podem ser servidas refeições (confeccionadas num restaurante nas proximidades) mediante pedido prévio;
  • No terraço de cada casa, há uma mesa de refeições, mas também poderá fazer piqueniques à sombra das árvores.

Estivemos no Chão do Rio no fim-de-semana de 30 de Junho e 1 de Julho de 2018, por ocasião da Festa da Transumância e dos Pastores, em Seia, durante a qual acompanhámos as ovelhas na subida à Serra da Estrela.

Se gostou deste artigo, pode deixar um comentário e seguir o Facebook e o Instagram do Viagens à Solta. A si não custa nada e a nós motivar-nos-á a partilhar mais experiências de viagem.

Boas viagens à solta!

7 Comentários

  1. Ola!! Muito bonito!! A minha filha ía gostar muito!! Ela adora animais da quinta!!

  2. Lindo demais, estou encantada!

  3. Lugar lindo. Com certeza colocarei na minha lista de lugares interessantes para se conhecer em Portugal.
    Gosto muito do blog de vocês e também agradeço pelas preciosas dicas.
    Obrigada…..Beijinhos!

  4. Simplesmente deslumbrada! Imagino-me a viver ali! Tem tudo a ver comigo! Sei que tenho que lá ir!

  5. Lindo demais!…

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *