O primeiro dia da nossa viagem ao Egito foi passado praticamente todo a voar. Às 06:50, partimos de Lisboa para Roma. Aí apanhámos um voo para o Cairo e, no Cairo, um voo doméstico para Assuão – a cidade mais a sul do país – aonde chegámos por volta das 20:40.

Para facilitarmos a nossa vida, alguns dias antes, contactámos o Nubian Lotus, o hotel onde íamos ficar em Assuão, para nos arranjarem um “transfer” do aeroporto para o alojamento.

À saída do aeroporto, tínhamos um condutor à nossa espera. Hammad, um senhor forte e alto, com uma jilaba azul até aos pés, aguardava-nos com um cigarro numa mão e um cartaz com os nossos nomes na outra. Acompanhou-nos até às sua carrinha velhíssima e depois foi impondo o respeito entre o trânsito desordenado graças à buzina de um camião. Mais adiante: “Hammad, precisamos de levantar dinheiro.” E ele, sem nunca desistir, parou em múltiplas caixas multibanco até o conseguirmos fazer. No cais de Assuão, ficámos nas mãos de outro desconhecido que nos levou para o hotel num pequeno barco.

[Não esquecer: quando se viaja de forma independente, tem de se confiar em muitos desconhecidos. Isso ajuda-nos a perceber que a maioria das pessoas é boa.]

Nessa noite, devido à escuridão, não conseguimos ver quase nada nem de Assuão nem da ilha Elefantina, onde ficámos hospedados. Quando chegámos ao quarto, o Paulo espalhou em cima da cama um maço de Libras Egípcias – equivalente a 100 Euros- a maior quantidade de notas que alguma teve nas mãos. Pedimos que nos levassem o jantar ao quarto e fomos dormir, exaustos.

Dicas de viagem

  • Aconselhamos a usar cartões tipo “Revolut” no Egito, já que permitem fazer não só pagamentos mas também alguns levantamentos, sem comissões.
  • Aproveite para levantar dinheiro e para comprar um cartão SIM no aeroporto do Cairo. Na sala de chegadas, há balcões de todas as operadoras de telecomunicações.

Se gostaram deste artigo, podem deixar um comentário ou seguir o Facebook e o Instagram do Viagens à Solta. A vocês não custa nada e a nós motivar-nos-á a partilhar mais experiências de viagem.

Mais artigos sobre o Egito:

5 Comentários

  1. Ansioso pelo desenrolar desta história/viagem. Nunca tive muito inclinado para ir ao Egipto, mas talvez sejam vocês que me vão convencer 🙂

  2. Boa tarde,
    Gostei muito do vosso report. Parabéns!!! Vou para o Egipto daqui a uns dias….
    Falou no report em cartões Sim que se compram no aeroporto. Sabe como funcionam? Isto em termos de tarifário? Obrigada!!

    • O cartão SIM que comprámos tinha 10GB de tráfego, com não sei quantos minutos de chamadas para o egito. Não me recordo do preço, mas deve ter rondado os 10€. Se tiver paciência é uma questão de comparar os preços nas várias operadoras, estão lá todas à saída do aeroporto.

      • Bom dia Paulo Azevedo,
        Pode , pf, esclarecer-me a questão do cartão que comprou? Um cartão como o que comprou que saldo tem para permitir fazer chamadas para portugal ?
        Obrigada

        • Olá Maria, o cartão que comprámos não permitia chamadas internacionais. Contudo, todos os operadores têm cartões com saldos para fazer esse tipo de chamadas. Poderá informar-se diretamente nos balcões de venda das operadoras. Tenha em atenção que serviços como o WhatsApp estão bloqueados para chamadas se usar a rede móvel. Poderá enviar e receber mensagens, chamadas apenas se estiver ligada por WIFI. Boa viagem 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *