Antes de mais, um esclarecimento: se é preguiçoso ao ponto de não querer sair de casa, este texto não é para si. Se mesmo querendo sair de casa, não está disposto a andar, também não. Se gosta de caminhar, mas não tem pedalada para grandes distâncias, continue a ler.

Belver, diz-lhe alguma coisa? Gavião? Portalegre talvez? Alentejo, sim, conhece. Pois bem, a caminhada que lhe sugerimos é em Belver, no concelho de Gavião, distrito de Portalegre, no Alto Alentejo.

Nesta região, há muitos pontos de interesse que pode explorar. Os nossos preferidos são as vilas históricas de Marvão e Castelo de Vide. Se houver tempo, podem-se também visitar as vilas de Alegrete e do Crato, o Mosteiro da Flor da Rosa ou a Coudelaria Alter Real.

Se já conhece tudo isto, não é razão para desanimar e ficar dentro de quatro paredes, até porque está disposto a andar, desde que não seja muito e o percurso seja fácil.

Este passeio não foi planeado. Surgiu-nos, por acaso, quando estávamos no castelo de Belver – uma bonita vila alentejana, dos tempos do segundo rei de Portugal – donde se avista o rio Tejo, casinhas brancas, sobreiros e oliveiras.

Observando com mais atenção, reparámos num passadiço de madeira ao longo da margem esquerda do rio, que vai desde a ponte de Belver até à praia fluvial do Alamal.

O trajeto está bem assinalado, na estrada que dá acesso à vila, por uma tabuleta de madeira que diz “Passadiço do Alamal”.

Se a vista a partir do castelo é bonita, a partir da margem do Tejo é ainda mais deslumbrante, sobretudo no Outono, quando as cores tornam a paisagem e o seu reflexo no rio ainda mais tranquilos e especiais.

Porque há coisas que temos de ser nós a vivê-las, vamos apenas acrescentar que este passeio é absolutamente recomendável e imperdível, sobretudo para quem gosta de andar a pé, desde que seja pouco.

O percurso demora cerca de 15 minutos para cada lado e é plano, com exceção de uns poucos degraus que é preciso vencer. Bom passeio!

Se gostou deste artigo, pode deixar um comentário e seguir o Facebook e o Instagram do Viagens à Solta. A si não custa nada e a nós motivar-nos-á a partilhar mais experiências de viagem.

Boas viagens à solta!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.