Anda à procura do que visitar em Matera ou a tentar descobrir se é um lugar que gostaria de conhecer em Itália? Então este guia é para si.

Matera é diferente de todas as cidades que conhecemos e uma das mais fascinantes que visitámos. Fica no sul de Itália e incluímo-la no nosso roteiro de viagem na Puglia porque, embora fazendo parte da região vizinha da Basilicata, é imperdível para quem está nesta parte de Itália.

Matera existe desde a pré-história, quando os antepassados do ser humano começaram a utilizar cavernas em rochedos como locais de proteção e, desde então, tem sido continuamente habitada. O seu centro histórico divide-se em dois bairros ou “sassi” – o Sasso Caveoso e o Sasso Barisano – compostos por dois grandes anfiteatros naturais escavados nas rochas.

Sasso Barisano visto a partir do miradouro Tre Archi ou Luigi Guerrichio
Sasso Barisano visto a partir do miradouro Tre Archi ou Luigi Guerrichio

Apesar de ter tido um período áureo, a cidade de Matera caiu no esquecimento até à década de 1950, altura em que foi revelada ao mundo pelo artista e autor italiano Carlo Levi, que lhe chamou “a vergonha de Itália”, devido à pobreza e às condições de vida degradantes nos “sassi”, onde as famílias viviam ao lado dos animais dentro de cavernas.

Mais tarde, o Governo obrigou os moradores dos “sassi” a mudarem-se para edifícios modernos, formando a “nova Matera”, enquanto a “velha Matera” começou a ser restaurada. Em 1993, a UNESCO classificou-a como Património Mundial e em 2029 foi nomeada Capital Europeia da Cultura.

Eis, pois, o nosso guia para aproveitar ao máximo Matera, incluindo o que visitar, o que fazer e onde ficar na cidade dos “sassi”.

Zona histórica de Matera, Itália
Zona histórica de Matera

Informações rápidas sobre Matera

Onde fica Matera | Na região da Basilicata, no sul de Itália (Google Maps)

População total de Matera | 60.459 habitantes 

Principais atrações turísticas de Matera | Sasso Barisano e Sasso Caveoso

Quanto tempo ficar em Matera | 1 ou 2 dias

Quando visitar Matera | Evite os meses de Julho e Agosto e os fins-de-semana, mesmo em época baixa

Principal evento de Matera | Festa della Madonna de la Bruna (2 de julho), uma celebração religiosa durante a qual as pessoas partem fervorosamente o andor da padroeira da cidade, feito de papel maché, por acreditarem que um pedaço do mesmo lhes trará sorte

Lembranças | Cucù, um tradicional apito de barro, em diferentes formatos

Curiosidade | Sabia que Matera foi o cenário de vários filmes, entre os quais “A Paixão de Cristo” de Mel Gibson, “Ben-Hur” e o último “007: Sem Tempo para Morrer”?

Matera: o que visitar, ver e fazer

Casa Noha

Para conhecermos a história da cidade e percebermos a razão pela qual chegou a ser considerada “a vergonha de Itália”, começámos a nossa visita pela Casa Noha, uma casa-museu situada na parte superior do Sasso Caveoso, a poucos passos do Duomo (Catedral). Foi a melhor coisa que poderíamos ter feito, porque nas suas salas são projetados vídeos cativantes que oferecem ao visitante uma reconstrução completa da história da cidade desde o paleolítico até hoje – o que nos fez ver a cidade com outros olhos e aumentou a nossa admiração.

Preços e horários em: fondoambiente.it/casa-noha-eng/

Depois da Casa Noha, visitámos a parte alta e plana da cidade, onde se situam a catedral, vários miradouros e a cisterna Palombaro Lungo.

Catedral (Duomo) 

A Catedral de Matera é o centro da cidade antiga e o ponto mais alto entre os dois “sassi”. Construída no século XIII, é dedicada a Madonna della Bruna e a Sant’Eustachio, os padroeiros da cidade.

Preços e horários em: www.oltrelartematera.it

catedral de matera
Interior da Catedral de Matera

Miradouros sobre os “sassi”

Miradouro da Catedral | Situado na Piazza Duomo, mesmo em frente à catedral, deste miradouro avista-se quase todo o Sasso Barisano.

Miradouro Tre Archi ou Luigi Guerrichio | Localiza-se na Piazza Vittorio Veneto, a praça principal de Matera, e também é um dos melhores locais para ver e fotografar o Sasso Barisano.

Miradouro da Piazzetta Pascoli | Este miradouro oferece vistas incríveis do Sasso Caveoso e da igreja “Madonna de Idris”, uma das 150 igrejas escavadas nas rochas de Matera.

Dica: estes dois últimos miradouros ficam relativamente perto um do outro. Basta percorrer a Via del Corso, a principal rua comercial da zona alta da cidade.

Cisterna Palombaro Lungo

Esta cisterna gigante, inteiramente escavada nas rochas a partir do séc. XVI, fica debaixo da Piazza Vittorio Veneto e era o maior reservatório de água de Matera, fazendo parte de uma rede de cisternas e canais que recolhiam e distribuíam a água das nascentes e da chuva para uso comum.

Em 1927, aquando da construção de um aqueduto, a cisterna Palombaro Lungo deixou de ser necessária e foi abandonada. Recentemente reabriu ao público e é, sem dúvida, uma maravilha da arquitetura e engenharia hidráulica.

Preços e horários em: www.palombarolungo.it

Depois de Palombaro Lungo, visitámos o Sasso Barisano e o Sasso Caveoso. Uma das melhores coisas para fazer em Matera é precisamente caminhar livremente pelas ruelas dos “sassi”, à descoberta de becos estreitos, igrejas rupestres antiquíssimas, casas-caverna construídas umas sobre as outras, pátios com catos, escadarias de pedra e pormenores especiais.

Sasso Caveoso 

O bairro Sasso Caveoso, a noroeste, é o mais antigo dos dois “sassi” e é formado maioritariamente por casas e igrejas rupestres.

A não perder:

  • Miradouro da Piazza San Pietro Caveoso, mesmo em frente da igreja com o mesmo nome;
  • Igrejas rupestres de Madonna de Idris (séc. XIV) e San Giovanni in Monterrone (séc. XI-XII);
  • Igreja rupestre de Santa Lucia alle Malve.

Preços e horários das igrejas rupestres de Matera em: www.oltrelartematera.it

Sasso Barisano 

O bairro de Sasso Barisano, a sul, é um pouco mais recente e é formado maioritariamente por palácios e casas tradicionais, muitas das quais transformadas em galerias de arte, restaurantes e hotéis de charme, e também é muito bonito.

Miradouro Murgia Timone

Durante o dia, ainda tivemos tempo de visitar o Miradouro Murgia Timone, o local da crucificação no filme “A Paixão de Cristo”, de onde se tem uma das vistas mais abrangentes de Matera. 

Situado do outro lado da ravina, no surpreendente Parco delle Chiese Rupestri, pode-se chegar ao local a pé, a partir de Matera, mais precisamente das escadas da Porta Pistola (Google Maps). A caminhada demora 2h para cada lado, mas também se pode ir de carro, e vale mesmo a pena, porque as vistas são incríveis.

Matera vista a partir do miradouro Murgia Timone
Matera vista a partir do miradouro Murgia Timone

Matera à noite

Ao anoitecer, caminhámos novamente pelos “sassi” e revisitámos os nossos miradouros preferidos, e não é que de noite Matera é ainda mais bonita, iluminada por centenas de luzinhas como num presépio?

Mapa de Matera

Clique no botão “play” para visualizar o mapa com os principais lugares a visitar em Matera.

Outros locais que poderá gostar de visitar em Matera

Nós ficámos 1 dia (2 noites) em Matera e foi suficiente para visitarmos todos os lugares referidos anteriormente. Se tiver mais tempo disponível, também poderá conhecer:

Vista do Sasso Caveoso a partir do miradouro da Piazzetta Pascoli
Vista do Sasso Caveoso a partir do miradouro da Piazzetta Pascoli

Onde dormir em Matera

Muitas das cavernas anteriormente abandonadas foram convertidas em alojamentos deslumbrantes.

Ora veja a nossa seleção dos melhores:

Nós optámos por dormir fora dos “sassi”, no h-sa GUEST HOUSE, por causa do estacionamento gratuito. Este alojamento local pertence ao simpático casal Antonella e Marco que nos presentearam com magníficos pequenos-almoços, onde tivemos a oportunidade de provar o pão de Matera; vários enchidos (incluindo uma espécie de linguiça com erva-doce que adorámos); diversos queijos; bruscetta com pomodoro; focaccia, doces caseiros e até o bolo da Festa del Papà, que ao início julgávamos ser uma homenagem ao Papa, mas era afinal o doce tradicional do Dia do Pai!

Gastronomia tradicional

Em Matera, não deixe de experimentar:

  • Pão de Matera. É enorme e parece, ele próprio, uma rocha;
  • Peperone cruschi, uns pimentos estaladiços que se comem à mão;
  • Fave e Cicorie, um puré de favas com chicória;
  • Orecchiette con cime di rape, uma massa em forma de orelhinhas com folhas de nabo italiano;
  • Crapiata, a sopa tradicional de legumes de Matera;
  • Enchidos e queijos da região;
  • Vinhos DOP de Matera;
  • Amaro Lucano, um licor de ervas típico da região da Basilicata, também chamada Lucânia.

O que visitar perto de Matera

  • Castelmezzano, uma aldeia maravilhosamente preservada, também na região da Basilicata, aninhada entre montanhas de pedra afiadas.
  • A região vizinha da Puglia

Siga-nos no Instagram para mais ideias para férias, escapadinhas e fins de semana.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.